19 de julho de 2016

Seis meses...


2:15 da manhã, tem horário melhor pra pensar na vida? E na madrugada que tudo está tão calmo e silencioso que você consegue ouvir até seus pensamentos mais profundos, até aquelas angustias que ainda irão te assombrar!
Eu me peguei aqui pensando em como a vida muda, como tudo é rotativo, solto e bagunçado, mas é uma bagunça organizada, aquela que você não vê mais sabe onde está o que procura. Seis meses atrás essa bagunça não existia, tudo estava definido, todos os pingos nos “i” como diria minha vó que está no céu agora, há seis meses tudo estava em seu lugar, minha mente cheia de ideias para uma vida que ninguém saberia que eu começaria a viver, nem mesmo meus amigos mais íntimos, ir embora, largar tudo pra trás, recomeçar uma nova vida em um novo lugar, eu juntei dinheiro pra isso ué, porque não iria?
Meus pais, por eles mesmo! Tudo arrumado, procurando passagem eu sentia que algo daria errado eu sabia que um terremoto dos grandes se aproximava e chegou, mas foi bom né? Ele destruiu tudo, derrubou as estruturas, bagunçou minha cabeça, perdi o foco naquela mudança, eu precisava ficar aqui, dar apoio aos meus pais, aquelas pessoas mais importantes do mundo, ok eu fico! Precisava moldar um novo plano, novas mudanças tudo novo, de novo!
Cancelar a minha festa de aniversário, prova, faculdade, bolsa, algumas compras e eu tinha um novo rumo, depositei a minha confiança em uma escolha que não tinha pensando tão afundo assim, não errei. Paguei pra ver, decidir ir atrás ver o que era a universidade, me perdi, a faculdade definitivamente não é a escola, escola aquela em que nadávamos com tanta facilidade, água rasa, ninguém se afoga, faculdade é alto mar, e denso, calmo em alguns dias e tempestuoso em outros, fundo, tão fundo que o sol não alcança tais profundidades! Mas foi ali naquela escuridão no meio de tantos peixes grandes que eu comecei a conquistar um lugar, grande ou pequeno aos poucos eu comecei a me sentir parte de tudo aquilo. A cada aula, debate, matéria, café, anotação, prova, trabalho, a cada minuto ali dentro eu me sentia mais completa, eu fazia parte de algo novo!
Seis meses se passaram a bagunça por aqui só aumentou, minha cabeça fervilha de ideias de um futuro que espero que esteja mais próximo a cada dia, quero fazer milhões de coisas em segundos, depois me acalmo e penso por etapas, preciso tomar decisões, quero mudanças. Mais? Mas é claro! Elas que me fazem acordar com sede, eu me movo pela mudança, quero sentir o vento frio congelar a ponta do meu nariz à cada vez que eu me lembrar que elas estão mais perto, a cada dia, hora, minuto e segundo, elas estão chegando!
Seis meses e a bagunça só vai aumentar! 

2 comentários:

  1. Amei esse texto Wes, fez eu refletir sobre a minha !!! Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço viu! Espero ter ajudado com alguma coisa <3

      Excluir